Skip to content

Da série: Cultura Vampírica

13/08/2010

Porque nós, ao contrário do que muitos pensam, não somos alienados! (Pronto Falei!)

Você sabia que comemoramos o “dia do vampiro” no dia 13 de agosto? Pois é, existe um dia para isso!!! E VIVA A GENTEEEEEEEEEEEEEE!!!

E nesse dia especial… Fuçando no meu netbook… Encontrei uma reportagem muuuuuito boa da revista “MUNDO ESTRANHO” sobre os nossos queridinhos e fangosos, vamps.

Neste “Dia dos Vampiros”, trazemos um postzinho de “Utilidade Pública!”

“Proteja sua jugular, que chegou a hora de encarar as feras! Mais reais do que muita gente imagina, os insaciáveis bebedores de sangue fascinam a humanidade há séculos. Conheça a origem do mito e o que há de verdade por trás dessas misteriosas criaturas das trevas!”

E com vocês:

“Vampiros de Carne e Osso!”

***Intervenções entre parênteses muito intrometidas desse ser que vos escreve .___.

Poucos seres exercem tanto fascínio quanto os vampiros, criaturas sobrenaturais que deixam sua tumba à noite para sugar o sangue de suas vítimas.

Desde o temível conde Drácula e suas sedutoras vampirescas até o bem-comporto Edward, da série Crepúsculo (Nada contra o Ed, mas eu sou mais o Drácula!), há séculos os senhores das trevas assombram o imaginário de civilizações de todo o mundo.

A origem desses mortos vivos remonta à Antiguidade. Povos da Mesopotâmia, da Grécia e da Roma antigas, por exemplo, já cultivavam histórias de monstros sugadores de sangue. Mas foi na Europa que o mito moderno ganhou forma. Nesse continente, o pavor diante dos dentuções chegou a tal ponto que muita gente foi morta sob a acusação de ser uma dessas criaturas. Isso sem falar nas centenas de cadáveres que foram exumados e levaram uma estaca no peito!

Como na ME (Mundo Estranho) a gente não tem medo de careta, nesta reportagem você vai saber como a ciência explica esses surtos de vampirismo, vai conhecer alguns bebedores de sangue 100% reais e poderá compreender como funciona o corpo dessa entidade maligna (Leitura obrigatória para todos nós OMG!!!) , considerada a mais pop de todas as assombrações ( Mas vampiro não é assombração O__o!Tá, eu não discuto com a ME… )

Claro, isso se você for macho o suficiente para virar as próximas páginas! (Ui…Alguém chama o “Tohr”, ou o “Eric”, ou mesmo o “Tegan”??? Deu um medinho agora…)

Mitos sobre chupadores de sangue vêm desde a Antiguidade, mas a palavra vampiro só se popularizou após 1734, ao aparecer na língua inglesa. Ela nasceu do russo upir, que viraria vampir (em sérvio) (que originou também o “DHAMPIR” ashuashuahsu… DIMITRI que não sai da minha cabeça) e, depois, vampire (em inglês).

1. A Ciência dos Vampiros:

Se hoje os senhores das trevas não passam de seres mitológicos, antes eles eram considerados criaturas pra lá de reais. Até o século 18, acreditava-se que esses mortos vivos de fato existiam, e muita gente foi morta sob a acusação de ser um deles. Essa histeria coletiva residia, sobretudo, na ignorância sobre o ciclo de decomposição do corpo humano e no fato de que algumas doenças podem originar comportamento e aparência vampirescas. Veja o que a ciência tem a dizer sobre a origem dos lendários dentuções:

– Corpo Imaculado:

No passado, pouco se conhecia sobre o processo de decomposição de cadáveres. Se um caixão fosse aberto e o corpo estivesse preservado, não havia dúvida: tratava-se de um vampiro. O que ninguém sabia é que, dependendo da temperatura, da umidade e do tipo de solo, os corpos levam mais tempo para se decompor.

– Sangue do Diabo:

A presença de sangue na boca ou no nariz do defunto também era um claro sinal de que ele era um morto vivo. Mas calma com a estaca! Durante a decomposição do corpo, é possível que sangue e outros fluídos sejam expelidos pelas cavidades do cadáver. (ai…que visão mais linda… Me recuso a colocar uma imagem!)

– Diagnóstico do Terror:

Às vezes eram achados corpos retorcidos ou com expressão de pavor nas tumbas. O motivo? É que, por causa de erros de diagnóstico com o atraso da medicina, as pessoas tentavam sair do caixão após serem enterradas vivas!

Era o caso, por exemplo, de portadores de catalepsia, doença que causa total imobilidade do corpo.

– Palidez Doentia:

Certas pessoas acusadas de vampirismo podiam, no fundo, ser portadores de porfiria, doença rara catalogada apenas no final do século 19. As vítimas são altamente sensíveis à luz solar, podem sofrer delírios e ter boca e dentes avermelhados. Por não saírem de casa de dia, são pálidas como os vampiros.

(lindo, mas branco de dar medo!!!)

– Exorcismo Psicológico:

A explosão de casos de vampirismo na Europa coincidiu com o fim do período de caça às bruxas. Os vampiros acabaram servindo de bode expiatório para a população “exorcizar” os males que a afligiam, e muita gente foi parar na fogueira, como o cientista Ludovico Fatinelli, autor de um livro sobre vampiros (explicação mais adiante)

– Epidemias Fatais:

Mortes em série atribuídas a vampiros eram, na verdade, fruto de epidemias, como raiva, cólera ou peste bubônica, pouco conhecidas na época. Além disso, vítimas de raiva podiam sofrer de hipersensibilidade ao sol, e portadores de peste bubônica podiam ter sangramentos pela boca.

– Vida Após a Morte:

Depois que alguém bate as botas, unhas e cabelos dão a impressão de continuar crescendo por causa de refluxos da pele. Além disso, os gases do corpo se expandem, aumentando o abdome, levando os incautos a pensar que o cadáver tinha se alimentado recentemente.

Anúncios
2 Comentários leave one →
  1. 13/08/2010 20:41

    Adoreiiiiiiiiiiiiiiiiiii

    • Karol permalink
      18/08/2010 14:09

      Aff amei…principalmente suas “intervençoes”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: