Skip to content

O Silêncio de Rosalie

10/08/2010

O Silêncio de Rosalie

Capítulo 1 – A proposta

 

Alô?” a voz que parecia sopros de agonia falava do outro lado da linha.

Rosalie?” “Aqui é a Bella. Por favor, você tem que me ajudar.”

Eu aposto que se ainda respirasse estaria me sentindo sem ar, mas os anos como imortal me tirou até a lembrança de como era a sensação de surpresa. Vampiros tendem a exteriorizar sentimentos com intensidade aguçada, surpresa não é muito o nosso caso.

Emmet estava sentado no sofá esperando por uma resposta minha. Nossa cumplicidade fazia com que meus olhos evidenciassem que naquele momento algo estava transformando meu vazio mundo e isso era muito raro desde o dia em que eu o encontrei no penhasco e o levei a Carlisle para transformá-lo. Eu queria ficar sozinha e me senti feliz por Edward não estar ali e ler meus pensamentos.

A casa estava envolvida com as ligações trocadas entre Edward e Carlisle. Mais uma vez a visão de Alice tinha mostrado uma grande mudança em nossas rotinas. A grande verdade é que desde o dia em que Bella surgiu em Forks, nada ficou parado.

Bella!

A ligação da pessoa que entrara em nossa família de uma forma tão irritante agora era a possibilidade de não mais ser o estável. Eu ainda não entendia porque ela tinha me ligado mas eu me sentia extremamente responsável por sua segurança.

Busquei o quarto que Edward transformara para os dois, sentei-me na cama que antes não existia e agora fazia parte de toda a decoração do que eu costumava chamar de “Bella Adormecida”.

Carlisle nos unira de uma maneira ímpar e de alguma forma nosso elo de família transcendia qualquer explicação plausível. Por anos me martirizei pela escolha que eu não tive. Com a chegada de Alice e Jasper, contudo, me senti frustrada por ser a única a não ter nenhum poder. O que não significa que não os amei como meus “irmãos”. A verdade é que todo o meu egoísmo enquanto humana ficou enraizado na minha transformação. Se antes eu me achava a melhor mulher do mundo, a mais encantadora, a irresistível para a sociedade local, uma vez transformada eu era apenas mais uma simples imortal com a beleza genérica concedida a todos que tinham os sonhos interrompidos pela eternidade sem planos.

Ainda custava a acreditar que assumiria o compromisso de cuidar da Bella e de tudo que estava por vir. Não era pelo cuidado, era por ela, a humana que tanto invejei por escolher tudo que eu não queria para mim.

Carlisle não precisava de mim tal como precisava de Alice para prever o futuro; Edward pouco se importava com meus pensamentos que em nada contribuíam para mudar o mundo que ele tinha escolhido. Mas era eu, era a mim quem ela tinha escolhido.

Não existia outro momento em que me lembrara de ter sido responsável por algo tão importante. Não existia nada de muito importante em nossas vidas a não ser caçar, cuidar de nossa proteção em relação aos Volturi e suas leis e viver a mesma vida por séculos e séculos longe dos escândalos com os humanos.

Quando Bella invadiu nossa casa e roubou toda nossa normalidade imortal, meus sentimentos em relação a ela oscilavam entre a inveja de sua vida humana e suas escolhas e a raiva por ser uma simples mortal a chamar a atenção de Edward.

Não, eu não amara Edward! No início, quando estávamos formando nossas vidas, eu apenas queria que no meu novo mundo eu fosse exatamente o que era enquanto humana, o centro das atenções. Edward nunca dedicou um momento de atenção a mim e nunca se preocupou em esconder que apesar de enorme amor que existia pela nossa fraternidade era sensibilizado pela constante dor que eu carregava em meus pensamentos. Eu era tida como a coitada e não existia nada que pudesse me machucar mais do que não ser a desejada.

O que Bella me causava estava longe de ser ciúmes embora minha insignificância diante dos outros membros Cullen fosse algo a ser destacado como um fator que poderia contribuir para tal.

Envolvida em meus pensamentos Emmet entrou no quarto, tocando em meus cabelos, com um sorriso provocador e ao mesmo tempo amável, tirou minha concentração.

– Rosalie, o que Bella queria?

– Ela deseja que eu cuide dela e do bebê. Na verdade ela teme que Edward e Carlisle lhe aplique alguma dose abortiva.

Eu pensei que Emmet fosse fazer alguma gracinha, como era típico, mesmo em momentos sérios. Ou até mesmo que ele fosse repudiar a idéia. Mas ao contrário de tudo o que eu podia pensar, Emmet apenas me beijou.

– Isso é mais do que um pedido para você, não é?” – A expressão era a mais tenra que eu já experimentara ao seu lado.

– Na verdade, Emmet, isso é a possibilidade de me sentir viva outra vez.

– Rose, eu sei que quando você me encontrou seu primeiro pensamento era o filho da sua amiga humana. Eu sei que nunca seremos diferente de nada disso do que você vê e do que eu vejo. E mais, tem vezes que eu sequer ouso perguntar a você se ainda continuo fazendo feliz exatamente por temer as suas expressões.

– Emmet, eu sou a que menos me manifesto nessa casa. É verdade, contudo, que exceto você, poucos são os que dão ouvidos ao que tenho a dizer. Mas eu confesso que se eu não o tivesse encontrado, tudo seria muito pior.

Emmet me abraçara e de uma forma irônica perguntou: “– E então, agora esse bebê será uma espécie de “O Bebê de Rosalie”?

Eu dei um tapa no ombro de Emmet.

– Como você pode brincar com isso, Emmet.

– Ei, gracinha, estou apenas querendo que você se abra comigo.” – Ele retomava meu corpo junto ao dele e acariciava meu cabelo.

– Sim, eu aceitei cuidar de Bella e dessa criança. Essa é a minha possibilidade, você me entende, Emmet?

– Claro. Precisamos saber como os outros irão reagir com sua postura, querida.” – Era a primeira vez que Emmet parecia ser tão maduro diante de uma situação delicada. Sua posição era de quem falava a verdade, como se ele soubesse tudo o que eu tinha pensado enquanto estava sozinha.

– Você vai me apoiar?” – Eu o olhava nos olhos buscando a nossa cumplicidade.

– Oh Rosalie, qual é? Quando foi que a deixei sem meu apoio? Eu sou mais forte que Edward, esqueceu?

Era impossível manter o lado sério de Emmet. Mas era extremamente bom ter Emmet ao meu lado, eu estava certa em trazer aquela criança para perto de mim. Emmet me fazia esquecer a dor da transformação e ao lado dele eu me sentia a pessoa mais importante do mundo.

Camila Lisbôa

 

Ei, meninas, eu comecei a escrever. Caso vocês gostem, posso começar a postar sempre. Do contrário, não fiquem acanhadas, continuará sendo meu aperfeiçoamento para outras escritas que virão.

Um super beijo.   

Anúncios
12 Comentários leave one →
  1. Pah permalink*
    10/08/2010 17:51

    Parece que postamos juntas!
    😀

    Sucesso Camis!
    s2

  2. Nete permalink
    10/08/2010 18:41

    Continue sim! Essa parte da história merece ser contada!

  3. 10/08/2010 18:53

    Continua escrevenduuuu…

    Amei Camis!

  4. 10/08/2010 22:33

    Eu também adorei!!!
    Quero mais…
    Bjos!!!

  5. Dri# permalink
    10/08/2010 23:21

    Gostei.. nunca pensei que o Emmet tivesse esse lado..

  6. Bia Kishi permalink
    11/08/2010 08:12

    Camila PARABÉNS!!! Muito bom amiga… Olha, foi tão bom que eu passei de bobeira e acabei ficando… rsrsrs…
    A delicadeza das palavras, a tradução da personalidade melancolica da Rosalie, a perfeição do texto… Muito, muito, muito bom!!!
    E olha, se continuar escrevendo, EU CONTINUO LENDO VIU!!!! #FATO!

    Beijos

  7. BRUNA SOARES permalink
    11/08/2010 08:45

    Bom dia, Camila continue escrevendo sim…se possivel todos os dias…rsrsrsr

    Muito bom

  8. kris permalink
    11/08/2010 18:58

    Adorei!! Esta super bem escrito…
    Aguardaremos os proximos capitulos..
    bjssss

  9. Ana Carol permalink
    13/08/2010 07:38

    MUITO PERFEITO!!!!!!!
    Concordo com tudo dito até agora em relação ao texto,realmente bom.
    Continue assim.
    ;*

  10. Escritora permalink
    13/08/2010 13:47

    Meninas, estou muito feliz com o retorno de vocês.
    Irei postar todas as semanas os capítulos e conto sempre c a observação crítica de vcs.
    Meu objetivo é dar uma enfatizada na Rose e Emmet que merecem um pouco da atenção já que são os menos mencionados, porém, não deixam de ter o lado sombrio e interessante.
    Um super beijo!!!

    • Ana Carol permalink
      13/08/2010 13:55

      Tem outros que merecem o mesmo tratamento, mas adorei a iniciativa. Rsrs
      Tipo,podia ter uma história de Bejamin, podia dar uma enfatizada em Tânia, saber a história de Vitória antes de conhecer o James e muito mais.

      • 13/08/2010 14:24

        Eu ADORO a imaginação de vcs!
        Ana se vc escrever alguma coisa desse tipo, manda pra gente! ^^
        #puppyface

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: