Skip to content

Vampiro é coisa de Nerd?

17/08/2009

Preparem-se, o texto hoje será digno da Sra. Vampira Escritora.
Estes vampiros eram corpos que saem das suas campas de noite para sugar o sangue dos vivos, nos seus pescoços ou estômagos, regressando depois aos seus cemitérios.
Não, a afirmativa acima destoa, completamente do que estamos vivenciando. Vampiros são seres dotados de um magnetismo inexplicável. Tão forte que as sensações são passadas pelas leituras [todas nós, nos envolvemos, de alguma forma, com um personagem ou mais de um e podem apostar que nenhum deles saiu de nenhum cemitério e muito menos se perdeu diante do primeiro pescoço.].
Rousseau escreveu também em uma carta ao Arcebispo de Paris: “Se alguma vez existiu no mundo uma história provada e digna de crédito, é a dos Vampiros. (…) Não falta nada: autos, certificados de homens notáveis, de cirurgiões, clérigos e juízes. A prova jurídica abarca tudo. Com tudo isto, quem acredita, pois, nos Vampiros?”
Releiam acima, Jean-Jacques Rousseau, filósofo iluminista, falava sobre vampiros. Disserta com racionalidade que em muitos momentos fomos questionadas [papinho de pessoinhas que perguntam: “ah porra, toma vergonha, com 26 anos e você ainda fica lendo essas histórias de vampiro?”] [foda-se né, bem estilo Roza do Dimi].
Isso porque eu nem quis pegar o que fora dito por Marx, sim, ele mesmo.
Os vampiros são lendários, desde das cenas horripilantes de Drácula, ao doce e insaciável Edward Cullen e ainda, ao Cômico Chico Anysio que interpretou de uma forma bem brasileira o vampiro Bento Carneiro.
Logo, por favor, antes de qualquer crítica, repense direitinho e procure se inovar, existe uma coletânea que favorece a qualquer gosto, seja ele histórico ou romance ou até mesmo terror. Que seja, mas não chame de imbecil aquilo que sequer conhece.
Eu tô colocando umas informações de literaturas no decorrer da história
Luis Marques
(“Asetian Bible”, 2007, Editora Aset Ka, ISBN 978-9899569409)
Kizzy Ysatis
(O Clube dos Imortais, 2006 – Diário da Sibila Rubra, 2008)
Anne Rice (Série As Crônicas Vampirescas , 1976-2008 – foi quem a serie mais famosa sobre vampiros )
Nayla de Souza
(Jason Carter, 2005/2009 – Fragmentos de seu diário em sincronismo com a história, relata a descoberta do primeiro amor de um vampiro.)
Stephen King
(A Hora do Vampiro, 1975)
Samuel Taylor Coleridge
(Christabel, 1797/1800)
Lord Byron
(The Giaour, 1813)
E.T.A. Hoffmann
(Aurelia, 1820)
Nikolai Gogol
(Viy, 1836)
J.K. Rowling
(Série Harry Potter, 1997/2007 – Na série aparecem citações sobre vampiros)
Stephenie Meyer
(Série Twilight (Crepúsculo), 2008/2009
Clara Tahoces
(Gótica), 2007
John Polidori
(The Vampyre, 1919)
Théophile Gautier
(La Morte amoureuse, 1843)
Alexei Tolstoy
(The Family of the Vourdalak, 1843)
Alexandre Dumas
(The Pale-faced Lady, 1848)
Richard Burton
(Vikram and the Vampire, 1870)
Sheridan Le Fanu
(Carmilla, 1872)
Fergus Hume
(A Creature of the Night, 1891)
H. G. Wells
(The Flowering of the Strange Orchild, 1894)
Mary Elizabeth Braddon
(Good Lady Ducayne, 1896)
Algernon Blackwood
(The Transfer, 1907)
Sir Arthur Conan Doyle
(The Adventure of the Sussex Vampire, 1924)
Edith Wharton
(Bewitched, 1927)
Robert E. Howard
(The Moon of Skulls, 1930)
Michael Romkey
(Série I, vampire, 1990)
Lisa Jane Smith
(Série Vampire Diaries, 1993)
P.C. Cast e Kristin Cast
(Série The House of Night, 2007)
Meg Cabot
(Um dos contos do livro Formaturas Infernais, chamado A filha da exterminadora, 2007)
André Vianco
(O Senhor da Chuva, Os Sete, Sétimo, O Turno da Noite – Volume 1: Os Filhos de Sétimo, O Turno da Noite – Volume 2: Revelações, O Turno da Noite – Volume 3: O Livro de Jó, Bento, O Vampiro-Rei: Volume 1, O Vampiro-Rei: Volume 2, Vampiros do Rio D’oro – Volume 1, Vampiros do Rio D’oro – Volume 2)
The Vampyre de John Polidori é geralmente considerado o progenitor da literatura com vampiros. O conto foi escrito em Genebra, por ocasião de uma competição de contos de terror sugerida por Lord Byron. Nessa mesma altura Mary Shelley escreveu Frankenstein. O livro de Polidori teve uma enorme influência em Bram Stoker.

Ah, e se você ainda tem aquela imagem do ícone sangrento querendo devorar, você imploraria, ainda mais, por um Cullen (Twilight) ou por um Dimitri (Vampire Academy) ou por um Erin Night (House of Night).

Quanto à foto abaixo, eu faço um comentário oficial: “Kristen, me ensina?” [dilíça, dilíça.. passa lá em casa que tá tudo reformado… risos]
Até
*Culturas postada por Vampira Escritora – Camila
Anúncios
One Comment leave one →
  1. Debs permalink
    17/08/2009 21:54

    Tive que rir!
    Vc praticamente roubou a essencia do que eu ia escrever[ vou] quarta!!!
    uahuahauhauahauhu

    Continuarei entao…

    Ah, Li House of Night!!!
    BOM DEMAAAAAAIS
    Ja to no livro 4 Untamed. \o/
    O Eric é uma coisa de loucooooo
    hehehehe
    TAPAREI

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: